BEM VINDOS-Welcome

Este blog foi criado segundo orientações da professora de Ensino de Geografia e Estagio de vivência docente da Universidade Estadual de Londrina, com o intuito de publicar os trabalhos realizados durante as aulas.

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Estágio de Observação-Ensino Médio

INTRODUÇÃO

O presente trabalho, proposto pela professora doutora Rosely S. Archela, na disciplina Ensino de Geografia e Estágio de Vivência Docente, tem por objetivo vivenciar a prática docente no ensino médio em escolas públicas. Neste caso, o colégio estudado foi o Colégio Estadual Hugo Simas, localizado no centro da cidade de Londrina-PR.

Foi observada a prática docente, como o professor faz o planejamento das aulas, como o professor trabalha em sala de aula, sua postura, didática, material utilizado, infra-estrutura do colégio e da sala de aula, e tudo que envolve o magistério e a educação, inclusive o comportamento dos alunos.

CARACTERIZAÇÃO DA ESCOLA

O colégio em que foi realizado o Estágio de Observação de Vivência Docente foi o Colégio Estadual Hugo Simas, localizado na Rua PioXII, número 195, no centro da cidade de Londrina-Paraná.

O colégio conta com muitos funcionários como faxineiros, cozinheiros, seguranças, porteiros, secretários, professores, coordenadores, diretores, entre outros.

Quanto à estrutura física, o colégio ocupa quase um quarteirão, foi recentemente reformado, é um local muito bonito, bem conservado e organizado. Quando se entra no colégio, pode-se ver alguns trabalhos expostos de diversas disciplinas nos murais realizados pelos alunos. O ambiente sala de aula também é bem conservado, com carteiras razoavelmente confortáveis e comporta ,em média, pelo menos na sexta série, 40 alunos.

Pode ser observado também a presença das televisões com entrada para pendrive para ser usada pelos professores em sala de aula. Todas as salas visitadas possuíam um aparelho.

O período observado foi o noturno. Os alunos do colegial não utilizam o uniforme e ficam retidos na quadra do colégio enquanto aguardam o sinal para início das aulas. O que se pode notar nos alunos do colégio é que em sua maioria são alunos de classe média, diferente dos das escolas periféricas onde as rendas são mais baixas já que muitos estavam bem vestidos com roupas da moda e muitos possuíam carros.

O colégio tem grande importância para o lugar onde está instalado porque abriga uma quantidade enorme de alunos, desde a primeira série do ensino fundamental ao terceiro colegial do ensino médio.

HISTÓRIA DE VIDA DO PROFESSOR

O professor que concedeu o estágio e quem a aula tive a oportunidade de observar está trabalhando neste colégio há um ano, tendo iniciado suas atividades no início do período letivo de 2008, lecionando com turmas de 2ª e 3ª colegial.

O professor já lecionou em escolas particulares, universidades e escolas públicas de várias cidades. Na rede pública atua há 7 anos.

Para ele cada turma tem sua maneira de se relacionar com ele e de se comportar. Dentro de uma mesma série, mas em outra turma, os alunos são diferentes, cada um com sua realidade e comportamentos diferentes, portanto o rendimento da aula será também outro.

PLANEJAMENTO DE AULA

O professor para planejar suas aulas, segue a grade do governo, montando uma apostila própria seguindo um cronograma da escola, e com isso ele leciona durante o ano inteiro, portanto suas aulas já são planejadas no começo do ano. Utiliza bastante material de diversas autorias e tipos como livros, livros didáticos, revistas e jornais.

No quarto bimestre ele escolhe os assuntos que são mais importantes para o vestibular e os temas mais atuais. Segundo ele, no quarto bimestre ele não segue totalmente a grade, e dá conteúdos atuais, porque os alunos já não estão mais empolgados ou muito interessados em assistir as aulas porque a época de vestibular é uma época de muita tensão e pressão para muitos deles, portanto ele prefere dar uma aula mais tranqüila, com assuntos atuais que provavelmente aparecerão nos vestibulares.

O professor se mantêm em pé durante toda a aula, com boa entonação de voz, boa dinâmica, interagindo com a turma como se fosse uma conversa, da aulas normalmente expositiva e utiliza o quadro-negro para colocar apenas as principais palavras como um roteiro dos assuntos abordados em sala.

Acho que ele deveria ter explorado mais o quadro-negro já que muitas vezes só de ouvir o aluno não aprende, mas por outro lado ele substitui o quadro-negro pelo ditado.

O ditado traz as principais idéias, o que também é bom para o aluno, tendo quase o mesmo efeito que o quadro-negro.

RELATÓRIO DE AULA

As aulas ocorreram nos dias 17/05/2008 e 22/10/2008 e em cada dia foram observadas 5 aulas de diferentes turmas de 2º e 3º colegiais.

Primeira aula:

A primeira aula de observação ocorreu na sala de alunos do terceiro colegial e seu tempo de duração foi das 18:45h as 19:35h.

O tema tratado foi a Nova Política Econômica1, mais especificamente sobre a China, abordando um pouco de pirataria, industrialização, controle do crescimento populacional,etc, sempre relacionando com notícias atuais e exemplos reais. A sala estava com muito poucos alunos, já que era uma sexta-feira e muitos estavam “matando” aula. Apesar disso a sala estava bem comportada e muitos participavam ativamente da aula.

Quanto à didática do professor ela é muito boa. Ele se mantêm em pé durante toda a aula, com boa entonação de voz, boa dinâmica, interagindo com a turma como se fosse uma conversa, a aula toda foi expositiva.

Os únicos problemas foram que ele não passa nada no quadro negro, o que dificulta na memorização do conteúdo já que os alunos não copiam nada para relembrarem depois, e também as aulas normalmente demoram 10 minutos para começar depois que o sinal tocou e ele acaba quase 15 minutos antes o conteúdo, o que pode ser ruim já que muitos ficam sem fazer nada sendo que ele poderia explorar melhor o tempo dando mais conteúdo, mas por outro lado ele tira as dúvidas daqueles que vem a sua mesa após a aula, o que é bom já que o aluno pode tirar suas dúvidas na hora.

Durante esses 15 minutos restantes ele fez a chamada e tirou algumas dúvidas de alguns alunos.

Segunda aula:

Realizada em outra turma de terceiro colegial das 19:35h as 20:20h.

Nessa turma os alunos estavam em maior número. O conteúdo foi o mesmo do da primeira aula, sobre a China e como ela se tornou uma potência mundial. A forma de dar aula foi exatamente a mesma.

A sala era bem comportada, porém observou-se muitos alunos utilizando celular durante as explicações, o que atrapalha no seu aprendizado e muitas vezes dos demais alunos. Mas aí também depende do professor, pois a maioria proíbe o uso desse tipo de mídia em sala de aula, porém este professor não reclamou em nenhum momento, o que é ruim, pois assim os alunos nunca irão parar de utilizá-la em hora errada. No fim fez a chamada.

.

Terceira aula:

A terceira aula ocorreu das 20:20h as 21:00h em uma turma de terceiro colegial.

Havia poucos alunos em sala. O conteúdo foi o mesmo, mas conseguiu adiantar o próximo conteúdo que era a Nova Política Econômica 2. A forma de dar aula foi exatamente a mesma, já que era uma turma também de terceiro colegial e ele segue a mesma didática em todas as turmas de mesma série, o que pode ser um pouco cansativo para quem observa, mas por outro lado facilita para o professor que não tem que planejar uma aula pra cada turma.

Observei aqui também um número muito grande de alunos mexendo no celular durante a aula. Aqui nessa turma o professor chamou a atenção de um aluno, mas não pelo uso de celular, e sim pela conversa.

No final tirou dúvidas e fez a chamada.

Quarta aula:

A quarta aula ocorreu das 21:20h as 22:00h em uma turma de segundo colegial.

Por falta de alunos presentes em sala o professor não deu aula alguma para não prejudicar o resto da turma já que iria dar um conteúdo novo. Isso mostra o descaso dos alunos com sua vida escolar. Dizem que o ensino no Brasil é ruim por causa da má formação de professores, mas e os alunos? De que adianta o professor vir preparado para lecionar se os alunos não têm responsabilidade e não comparecem à sala de aula? Devemos pensar nisso também e não culpar somente os professores desse problema do ensino público brasileiro.

Neste momento aproveitei para conversar com o professor sobre sua historia de vida docente que pode ser lida no item “História de vida do professor” na página 3.

Quinta aula:

A quinta aula ocorre das 22:00h as 22:40h numa turma de segundo colegial.

Havia poucos alunos, mas o suficiente para dar aula. O tema tratado foi a Guerra do Golfo e começou a aula fazendo um ditado sobre a guerra. Depois do ditado deu aula expositiva.

O que achei bom para essa aula foi o fato de ele ter localizado o país trabalhado desenhando-o no quadro-negro com latitude e longitude, o que é muito importante ao seu lecionar geografia.

Sexta aula:

A sexta aula foi realizada no dia 22 de outubro de 2008 numa turma de terceiro colegial, sendo a aula das 18:45h as 19:35h.

Hoje, muitos alunos chegaram atrasados, em média dez minutos de atraso, ao menos a sala hoje estava cheia.

O tema tratado foi sobre a Hidrelétrica da China, a três gargantas.ele seguiu o mesmo esquema de dar ditado e aula expositiva colocando palavras-chave na lousa. Ao final tirou dúvidas e fez a chamada.

Sétima aula:

A sétima aula teve início as 19:35h e terminou as 20:20h numa turma de terceiro colegial.

O tema foi o mesmo da sexta aula, com a mesma forma de dar aula. Durante a aula um aluno sai da sala para atender ao celular sem pedir permissão do professor, e o professor nada fez, sem contar que havia muita conversa. Depois fez chamada e terminou a aula mais cedo.

Oitava aula:

A oitava aula ocorreu das 20:20h as 21:00h em uma turma de terceiro colegial.

Mesma didática e mesmo conteúdo da sétima aula. Nesta turma a sala participou bem da aula, e também a presença de alunos aumentou, porém observei alguns alunos dormindo durante a aula. No final fez chamada.

Nona aula:

Ocorreu das 21:20h as 22:00h no segundo colegial.

Havia poucos alunos novamente. O professor mudou a didática com os ditados e deu exercícios sobre o oriente médio.

Nessa aula observei muitas conversas e ainda havia um grupo de alunos ouvindo mp-3 muito alto atrapalhando até o professor, mas este apenas pediu para abaixar o volume. No final fez chamada.

Décima aula:

A última aula observada foi numa turma de segundo colegial e ocorreu das 22:00h as 22:40h.

A presença dois alunos estava razoável e o tema foi a Guerra do Golfo. Fez o ditado como sempre e um mapa com as coordenadas. Passou alguns dados dos grupos radicais do oriente médio no quadro negro e fez chamada no final da aula.

CONCLUSÃO

O que pude observar e conseqüentemente aprender sobre as condições de ensino brasileiro foi de que, apesar da boa infra-estrutura do colégio, ainda poderia ser melhor, disponibilizando mais recursos para facilitar o exercício docente.

Se eu estivesse lecionando no lugar do professor eu trabalharia melhor o tempo da aula e passaria mais coisas no quadro-negro já que é um recurso a mais para ser utilizado. Com relação à didática, eu gostei muito, achei bem interessante e útil.

O que achei ruim foi o professor não se manifestar quando ocorria uso de celulares e mp-3 porque atrapalha muito o aprendizado e os demais alunos O ensino público, ao menos no colégio que observei, é bom, tanto que até me surpreendi, pois tinha a idéia de que era extremamente precário, horrível, mas vi que era diferente, era um local de trabalho normal, com boa infra-estrutura e bons alunos, porém faltava um pouco de equipamentos como data-show por exemplo, que ajuda a transmitir conteúdos e chamar mais atenção dos alunos, mas por outro lado havia agora as televisões com pendrive.

O que tenho de mais critico é quanto à falta de freqüência dos alunos durante as aulas, principalmente de sexta-feira. Dizem que o ensino no Brasil está ruim devido aos professores ruins, mas na verdade depende muito mais dos alunos, que não vem para a sala de aula, ficam na rua, em casa, sabe-se lá o que estão fazendo nessas horas. Deveria ter um controle mais rígido da freqüência e acompanhamento dos pais, já que isso é de responsabilidade deles também.

Com relação à infra-estrutura, talvez nas escolas periféricas essa realidade seja diferente e não tenham condições tão boas quanto ao colégio visitado, que se situa na região central da cidade, mas pelo menos em relação a ele, a impressão que tive do ensino público foi boa.

Enfim, essa foi uma ótima experiência para se pensar a educação no Brasil e minha posição sobre o ensino. Certamente isso me influenciará na hora de escolher seguir ou não a carreira docente.

Um comentário:

ORGANIZER disse...

oi Alexandre, Há muitos codigos em seu blog precisam ser limpos.
Quanto a ficha de acompanhamento do estágio, segundo semestre, que voce entregou. Falta nome do professor e carimbo da escola para ser considerado válida.
O relatorio está na secretaria do DGEO.